ENOAMIGOS

Cursos e Consultoria em Vinhos

claudia@enoamigos.com.br

• Santos • São Paulo

Artigos
Momento DiVino "Vinho é saúde? - Parte I" 23/01/15 - A Tribuna Jornal - Santos/SP
MOMENTO DIVINO 23-01-2015

A mídia hoje em dia tem dado enfoque ao vinho como um possível beneficiador da saúde humana. Fala-se que atua como antioxidante, anti-inflamatório, antimicrobiano, anticarcinogênico, vasodilatador. Ainda, fala-se em paradoxo francês, dieta do vinho, e suas benesses em favor do colesterol e da prevenção ao câncer.

Tantos os benefícios anunciados, mas, será o vinho realmente eficaz contra tantas mazelas?


Uma taça de história

O vinho é uma bebida que faz parte da história da humanidade e nela deixou marcas em cada época, cito algumas:

450 a.C. - O médico grego Hipócrates utilizava o vinho como antisséptico, sedativo, diurético e o prescrevia para o dia a dia também;

Século 2, d.C - Galeno, célebre médico na Roma antiga, também o receitava a seus pacientes, utilizando-o principalmente para cuidar dos gladiadores feridos;

Século 13, d.C - Arnoldo de Villanova, médico e filósofo catalão já advertia que para viver uma vida saudável o ideal seria a ingestão de vinho durante as refeições, não sendo recomendado nos intervalos;

Egito antigo - o vinho foi prescrito como orexígeno, estimulante para abrir o apetite, e ainda para tratar bronquite, verminoses e outros males.

Ratificando a teoria anterior Paracelso, médico suíço, pai da terapêutica moderna, no século 16, afirmava: "o vinho é um alimento, um remédio e um veneno, é apenas uma questão de dose".

Foi assim que, paralelamente à utilização do vinho para certos males, o famoso cientista francês Louis Pasteur, em 1865, descobriu que "o vinho é a mais saudável e a mais higiênica das bebidas", revolucionando a sua compreensão científica e o definindo como uma bebida sã. Tanto o é, que foi até mesmo adicionado à água, para sua esterilização, durante epidemia de cólera em Hamburgo, em 1892.

Podemos notar que a relação vinho e saúde já ocorre há muitos séculos!


Uma taça de técnica

Dentre as bebidas alcoólicas, é o vinho a que mais pode beneficiar o homem por causa de seus polifenóis, que são componentes antioxidantes, produzidos em abundância pela videira (parreira), tendo sua concentração nas cascas e sementes da uva, contribuindo com a evolução de sabor, cor e aroma dos vinhos.

Os polifenóis das uvas mais estudados são o resveratrol, os flavonóides, os taninos e as catecinas ou procianidinas, entre os mais de mil encontrados. A concentração de polifenóis nos vinhos tintos é 5 a 10 vezes maior que nos vinhos brancos. Isso porque as uvas tintas têm maior riqueza polifenólica e sua extração na vinificação é muito maior (na vinificação de vinhos tintos há maceração das uvas inteiras, já nos brancos o tempo de maceração com as cascas é muito pequeno, mínimo, ou inexistente).

E há muita pesquisa nesse sentido, que falaremos semana que vem.

Até a próxima taça!
MOMENTODIVINO@ATRIBUNA.COM.BR

.:: • © Copyright 2007 - 2020, ENOAMIGOS ® • Santos • São Paulo • claudia@enoamigos.com.br • http://www.enoamigos.com.br .::
.:: • PORTALWEB 6.0 ® • WCMS Web Content Management Systems • Development for Santos Digital ™ Global Strategy