Artigos
 VER TODOS OS ARTIGOS 

Montalcino dos Brunellos
Conhecer e degustar Rossos e Brunellos de Montalcino
ARTIGOS 09-01-2010
divulgação
Montalcino - Toscana - It.

MONTALCINO DOS BRUNELLOS

Montalcino é uma belíssima vila medieval murada, localizada em um monte alto, daí seu nome. Fica na província de Siena, região da Toscana, It. E, ficou mundialmente conhecida por produzir um dos vinhos mais caros e famosos: o "Brunello de Montalcino". Aqui no Brasil, neste momento, podemos admirar a bela Montalcino em algumas tomadas da novela global "PASSIONE", mesclando-se às cidades toscanas de Siena e San Gimignano.

Esta comuna (município) com tendência perfeita para o cultivo das videiras tem a dupla vantagem do clima seco da costa toscana e de possuir em seus melhores vinhedos solos pouco férteis, de argilo-calcáreos ricos em galestro (pedras que se desfazem em lâminas com pontas pronunciadas) e a proteção do monte Amiata contra tempestades, o que para a cultura da vide é excepcional, resultando em uvas muito mais concentradas e longevas, que as do vinho Chianti, que são elaborados na mesma região da Toscana.

divulgação
uva brunello -sangiovese grosso.

UMA TAÇA DE CONHECIMENTO

Seus vinhos são elaborados 100% com a casta sangiovese*, típica da região toscana, que em Montalcino é conhecida como brunello. A uva Brunello é um clone extremamente especial da sangiovese, uma vez que é fruto de muita pesquisa feita por Clemente Santi, homem de muita visão, que queria destacar os vinhos de sua comuna, no início do séc. XIX .  O resultado foi um tipo de sangiovese grosso que passou a ser chamada de brunello. Uva com características distintas: mais escura, dizem marrom, e com casca bem grossa, que dá muita cor e tanino marcante, oriundos do terroir diferenciado de Montalcino, amadurecendo mais tarde que a sangiovese do Chianti, concentrando mais açúcar que posteriormente dará mais álcool ao vinho. E foi então no final desse mesmo séc. XIX, em 1880, que Ferrucio Biondi-Santi, neto de Clemente, iniciou a vinificação do pioneiro Brunello de Montalcino, o conhecido  Biondi-Santi. Seu método de vinificação destaca o longo tempo de  maceração* do mosto com esta uva de grande estrutura e potência e ainda o período de estágio em carvalho que originalmente ocorre em "bottis" ( grandes tonéis de 3, 4 ou 6mil litros ) de carvalho eslavo ( comumente proveniente da área que se estende sobre a região de  fronteira da Sérvia, Croácia e Bósnia, ao longo do rio Sava). Atualmente pode também estagiar em barricas francesas (225 litros), o que o faz perder muito de sua característica e as vezes personalidade.

 
divulgação
bottis de carvalho eslavo da Caprili

UMA TAÇA DE REGULAMENTAÇÃO

Por Decreto, em 1º de julho 1980  o vinho Brunello de Montalcino recebeu a denominação de DOCG (mais alta classificação italiana) Denominação de Origem Controlada e Garantida. Decreto esse modificado em 1998 tentando adaptar sua regulamentação ao gosto moderno. A classificação dos vinhedos de Montalcino é:

DOCG Brunello de Montalcino
DOC Rosso de Montalcino
DOC Moscadello de Montalcino
DOC Sant'Antimo

A legislação exige que um Brunello seja elaborado com uvas cultivadas exclusivamente na zona prevista em Lei e exclusivamente a variedade Sangiovese, regionalmente denominada Brunello. É permitida nos rótulos a referência da região de onde vem as uvas. Sua graduação alcoólica deve ser no mínimo 12%.  Seu envelhecimento é de no mínimo de dois anos em carvalho de qualquer tamanho (antes eram três anos), não podendo ser liberado para consumo antes de cinco anos. Já ao "Riserva" acrescenta-se mais um ano.

O resultado desse processo é um vinho estruturado, intenso, encorpado, num rubi escuro com reflexos tendendo ao granada, na boca muita fruta madura como ameixa, especiarias, toque balsâmico, enfim um vinho complexo, etéreo, até de meditação. Um bom Brunello pode ser guardado por 10 a 30 anos se mantido em condições ideais. Aliás, identifica-se com os Barolos do Piemonte por sua longevidade.

Safras excepcionais: 1945, 1955, 1961, 1964, 1970, 1975, 1985, 1988, 1990, 1995, 1997 e os mais jovens 2004 e 2006.

Não menos potente porém mais discreto e sutil é o DOC Rosso de Montalcino, versão júnior do Brunello. Vinificado com a mesma uva brunello , mas aberto a cortes com outras uvas em pequena proporção, é um vinho menos encorpado, mas com personalidade, muita fruta e sabores intensos, não tão complexo e evidentemente menos longevo. Utiliza vinhedos mais jovens, tendo menos tempo de maceração das uvas com o mosto e pode ser liberado da adega com um ano de idade de amadurecimento. É um vinho para ser bebido mais jovem e é mais acessível também. Este vinho destaca-se tanto que muitos apreciadores o preferem ao Brunello.

Curiosidade - em safras ruins desclassificam-se as uvas e os produtores deixam de elaborar os Brunellos, mas com elas fazem um  Rosso diferenciado, o que é uma escolha inteligente para o apreciador ligado.

*sangiovese - casta tinta extremamente variável (suscetível à mutações) a mais cultivada na Itália, e muito comum na região central ( Toscana, Emiglia-Romana, Marche, Abruzzo, Úmbria e Lazio). Conhecida também como: sangiovese grosso, sangioveto, brunello, prugnolo gentile, morellino, sangiovese di Lamole, sangiovese piccolo, e como nielluccio na Córsega (Fr).

*maceração - é o estágio em que o mosto obtido das uvas esmagadas permanece em contato com as cascas.

divulgação
Brunello de Montalcino - Caprili

APRESENTANDO BRUNELLOS CAPRILI

Tive o privilégio de conhecer o Sr. Paolo Bartolommei, produtor dos vinhos Caprili, que veio à Santos, na Enoteca Decanter, apresentar seus vinhos toscanos dentre os quais o pontuadíssimo Brunello de Montalcino Riserva 2004.

A  azienda Caprili está localizada no coração de Montalcino.   Possui vinhedos de 45 anos, iniciados pelo seu fundador, Sr. Alfo Bartolommei, avô de Paolo, em terrenos que foram atingidos no final de sec. XIX pela filoxera (pequeníssimo inseto que devastou quase todos os vinhedos da Europa). Sr. Paolo conta que seu vinho começa na videira. A Caprili evita ao máximo o uso de produtos químicos, aplicando um agricultura sustentável, cuidando do vinhedo diariamente, protegendo-o de ataques comuns à vide. Seus vinhos não chegam a ser orgânicos mas artesanais. Para os Brunellos usam uvas de videiras entre 15 e 25 anos, já para os Brunellos Riserva as de 25 a 40 anos.  Suas perfeitas vinhas de sangiovese grosso são o destaque de seus Brunellos. "A uva sã vinifica naturalmente", destaca Paolo, "capturamos todo o mosto para vinificação a partir das leveduras* selvagens das uvas, sem nenhuma adição de leveduras concentradas (prática comum e legal) e deixamos nossos Brunellos macerando por 25 (vinte e cinco) dias, extraindo o máximo de cores, aromas, sabores e taninos marcadamente típicos de um Brunello feito de forma artesanal. Amadurecemos nossos vinhos em "Bottis" de 3, 4 e 6 mil litros  de carvalho eslavo, o que caracteriza a origem e tipicidade dos nossos vinhos".

*leveduras - são as responsáveis pela fermentação, processo que converte o açúcar das uvas em álcool.

O Rosso de Montaltino é feito com uvas de vinhedos mais jovens, sem adição de outras leveduras com maceração de 15 a 18 dias com temperatura controlada, tendo amadurecimento do vinho em "bottis" eslavos por 6 seis meses.

A propriedade tem 58 ha (hectares), onde cultivam a casta tinta sangiovese grosso (exclusivamente para produção de Rosso e Brunello), as brancas trebbiano, malvasia e moscadello respectivamente para o Sant'Antimo (branco seco) e Moscadello de Montalcino, (doce).

enoamigos.com
Paolo Bartolommei (Caprili) e enoamigos da confraria dos 12

TAÇAS DE DEGUSTAÇÃO

Além da degustação técnica de cada vinho pudemos harmonizá-los com os quitutes especialmente preparados pelo querido chef do bistrô da Enoteca, Ricardo de Freitas, que tem se destacado na gastronomia santista.

Rosso de Montalcino 2007 - cor rubi com intensidade média, aromas de ameixa preta, especiarias com toque de anis, na boca álcool e acidez equilibradíssimo com agradáveis taninos presentes. Pronto para agora, já, mas se quiser guarde no máximo por 3 (três) anos.(bruschuettas diversas)

Brunello de Montalcino 2004 - cor rubi com toque atijolado, aromas de  ameixa seca, couro, alcaçuz, na boca álcool e taninos equilibrados com acidez bastante presente garantindo sua guarda de uns 15 anos. (risotto de confit de pato ao perfume de pequi)

Brunello de Montalcino Riserva 2004 - cor rubi com reflexos granada, no ataque já deparamos com um aroma animal, couro, toque resinoso, alcaçuz evidente, muita ameixa seca, sous bois (que lembra grama e terra úmidas), muita complexidade aromática. Decantação mínima de uma hora, retrogosto longo de frutas secas, enfim potente, pronto, e pode ser guardado por 15 a 20 anos. ( stinco de vitelo com polenta ao perfume de trufas negras)

Moscadello de Montalcino 2008 - cor amarelo brilhante, aromas florais com muito mel e damasco maduro, na boca um vinho denso, untuoso com estrutura e acidez perfeitas, excelente para acompanhar queijos fortes e doces de frutas. (espuma de laranja com morangos frescos).

Perfeito!
Vou sentir saudades dessa noite!


 
Produtor de Brunello Di Montalcino
13-08-2010
       
       
       
       
     


 
 
► www.caprili.it
► www.decantersantos.com.br


 



 
  Início
Vídeo
Download
Fale Conosco
Cadastro
  Institucional
Cursos
Degustações
Enoturismo
Enopoemas
Dicas
  Cláudia Elaine Garcia de Oliveira
Artigos
Enonews
Momento Divino
Fotos "Social do Vinho"
Saiu na Mídia
 
 
.:: • © Copyright 2007 - 2019, ENOAMIGOS ® • Santos • São Paulo • claudia@enoamigos.com.br • http://www.enoamigos.com.br .::
.:: • PORTALWEB 5.0 ® • WCMS Web Content Management Systems • Development for Santos Digital ™ Global Strategy